Solliciteren bij de Partij voor de Dieren banner

Filme de animação proibido desencadeou discussões sobre óleo de palma destruidor  

A proibição de um filme publicitário da cadeia de supermercados britânica Iceland Foods, causou muito barulho no mundo inteiro. O filme de animação mostra os efeitos destruidores do óleo de palma sobre a natureza e os animais. No meio tempo, a petição pelo cancelamento da proibição do filme já foi assinada por um milhão de pessoas. Diferentes organizações na União Europeia demandam uma proibição do óleo de palma. Antes o Partido para os Animais já pediu uma proibição da importação.


Destruição das florestas tropicais pelas plantações de palmeiras-de-óleo

O comité de propaganda britânico proibiu Iceland Foods mostrar seu filme de promoção para produtos sem óleo de palma na televisão. O produtor original do filme, Greenpeace, seria ‘demasiado político’. O filme de animação onde figuram uma menina e um orangotango mostra as consequências destruidoras da indústria de óleo de palma. Anteriormente Iceland Foods declarou que não existe algo como ‘óleo de palma sustentável’ e que eles não venderão mais produtos com óleo de palma. É a primeira grande cadeia de supermercados que não usa mais óleo de palma como ingrediente nos produtos com marca de sua casa.

Óleo de palma
Óleo de palma é um ingrediente alimentar barato e produzido em grande escala. É usado na produção de mais que a metade de todos os produtos nos supermercados, de pão e pastelaria até detergentes e cosméticos. Estima-se que em 2050 o uso terá dobrado. A produção do óleo de palma é ligada à destruição em grande escala das florestas tropicais e das turfeiras que tanto precisamos para manter nossos sistemas ecológicos intatos e parar a mudança do clima. Cada hora corta-se uma área florestal do tamanho de 146 campos de futebol, principalmente na Indonésia e na Malásia. Deste jeito todas as florestas tropicais terão desaparecido dentro de 10 anos assim como todas as espécies de animais que lá vivem entre os quais o orangotango.

Óleo de palma sustentável não existe por causa da contínua desflorestação de grandes áreas para a plantação das palmeiras-de-óleo e é praticamente impossível controlar a proveniência do óleo de palma. Ademais a produção é frequentemente ligada à apropriação de terras e violação dos direitos humanos.

Partido para os Animais quer parar importação de óleo de palma
A Holanda compra muito de óleo de palma. O governo holandês tem toda confiança que as empresas  possam lidar com os problemas relativos ao óleo de palma mas esta abordagem parece não funcionar. A importação do óleo de palma na Holanda aumentou novamente e na semana passada ficou claro que as empresas estavam usando até menos óleo de palma sustentável.

Por isto o Partido para os Animais holandês pediu ao governo para restringir a importação do óleo de palma. Em dezembro de 2017 o governo holandês prometeu esforçar-se dentro da União Europeia por uma proibição do uso de óleo de palma como combustível. Atualmente, mais ou menos a metade do óleo de palma importado na Europa é destinado a biocombustíveis. O fato que a UE decidiu parar este uso completamente lá por 2030 é um enfraquecimento da proposta original do Parlamento Europeu para reduzir a contribuição do óleo de palma aos biocombustíveis até zero já em 2021.

O Partido para os Animais acha que conseguir retirar completamente o óleo de palma de nossos combustíveis não deve demorar tanto e quer que o governo holandês tome medidas severas para restringir o mais rápido possível a importação do óleo de palma em geral. Uma das medidas poderia ser por exemplo uma tarifa de importação alta.